EXERCITE SUA IMAGINAÇÃO E EXPLORE VALOR ECONÔMICO ATRAVÉS DA ECONOMIA CRIATIVA

EXERCITE SUA IMAGINAÇÃO E EXPLORE VALOR ECONÔMICO ATRAVÉS DA ECONOMIA CRIATIVA

Nos últimos anos o processo de desenvolvimento fez diversas mudanças na sociedade. Podemos identificar o progresso nos serviços, nas plataformas, nas artes e nos produtos que unem criatividade e lucro. Estas duas palavras tão promissoras, abrem uma infinidade de opções e possibilidades para a geração de novos negócios.

Em 2015 a área criativa gerou para o Brasil uma renda de R$155 bilhões, através das ações criativas culturais e intelectuais.

Sendo assim, se a economia tradicional se mantém através da commodities, a economia criativa cresce, driblando a crise, através de ideias e ações.

Vamos conhecer um pouco mais sobre como os negócios estão mudando, voltados para uma economia em constante movimento e crescimento.

 

O QUE É ECONOMIA CRIATIVA

O professor inglês, Jonh Howkins, foi pioneiro ao desenvolver o conceito de economia criativa, no seu livro The Creative Econom, ele define da seguinte forma:

“atividade nas quais resultam indivíduos exercitando a sua imaginação e explorando seu valor econômico. Pode ser definida como processos que envolvam criação, produção e distribuição de produtos e serviços, usando o conhecimento, a criatividade e o capital intelectual como principais recursos produtivos.”

Ou seja, é todo tipo de negócio que foi gerado através da criatividade e tem como base a valorização. Para realmente ser considerado parte da economia criativa, o negócio precisa gerar valor para a pessoa que produz ou para o cliente que recebe o produto, desenvolvido pelo mercado.

 

COMO SURGIU A ECONOMIA CRIATIVA

Como principal característica, a economia criativa carrega em si uma fonte de capital intelectual, com valor simbólico e significativo.

Está relacionada ao processo de criar algo novo para o mercado, algo que consiga ir de encontro as “dores” do consumidor, gerando valor ou dando um novo significado a algo que já existe.

 

ECONOMIA CRIATIVA E SUSTENTABILIDADE

Um tema bastante pensado pelas empresas nos últimos tempos é a sustentabilidade. Este novo conceito vem ganhando força e cada vez mais espaço nas empresas que são atentas a novos modelos de negócios. É neste momento que a economia criativa entra, conectando negócios com a sustentabilidade, trabalhando para pensar em novas formas de fazer negócio, buscando nova matéria prima, sendo criativa e explorando os recursos inesgotáveis.

 

ECONOMIA CRIATIVA E AS OPORTUNIDADES DO MERCADO

Existem diversos segmentos em crescimento, dentro do conceito de economia criativa, aqui você vai conhecer os três principais, que vem ganhando força na economia brasileira.

1- Moda

A moda lidera hoje o mercado de economia criativa no Brasil. Foi através da moda que o crescimento do brasil teve um crescimento considerável, passando da sétima para a quarta posição no ranking dos países mais consumidores de roupa do mundo.

Este crescimento ganha cada vez mais força devido a forte influência dos blogs e redes sociais, que abordam o assunto e influenciam pessoas no mercado da moda.

É um mercado que vale a pena investir, principalmente pensando no conceito de economia criativa e focada em expansão e crescimento. 

2- Jogos digitais

O Brasil é um grande empregador de mão de obra especializada neste ramo e o quarto maior consumidor de jogos digitais do mundo.

Os jogos estão dentro de um conceito bilionário e os especialistas têm grandes expectativas de crescimento, chegando a 13% ao ano.

Quando iniciou, este mercado tinha como foco os jovens do sexo masculino, hoje já atinge mulheres, crianças e idosos. É um segmento que avança para uma expansão ainda maior e vale a pena investir nele, sendo através de negócios ou oportunidades.

3- Artes

Considerando diversos setores e segmentos, as manifestações artísticas estão diretamente ligadas à economia criativa, tendo um crescimento anual considerável. Os principais setores da economia criativa são: artes cênicas, música, artes visuais, literatura e mercado editorial, audiovisual, animação, games, software aplicado à economia criativa, publicidade, rádio, TV, moda, arquitetura, design, gastronomia, cultura popular, artesanato, entretenimento, eventos e turismo cultural.

Hoje, a economia criativa apresenta uma média de remuneração superior, comparado com os outros setores e cada vez mais vem empregando pessoas.

A economia criativa é uma grande oportunidade de desenvolvimento para o país e para a sociedade como um todo.

Você já conhecia este conceito? Se interessou pelo tema? Conte nos comentários como você acha que a economia criativa pode te ajudar a crescer profissionalmente.

Conheça mais sobre arte agora, visite nosso blog e assine nossa Newsletter:

Escreva sua mensagem

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão marcados com *

CART

X